Buscar

O BRINCAR DE TODOS OS DIAS



Por Renato Reis (Tio Pantanal)


Ah, quem se lembra que não precisava de horário para brincar?


Todos da geração da década de 90 vão se recordar que não precisava hora, nem lugar, mas sim que a única regra de ouro era que todos os dias tinha que haver brincadeiras de correr, pular e jogos competitivos, de esconder, meninos versus meninas, futebol, vôlei, etc.


Uffa... eram muitas atividades.


Um detalhe importante nesse contexto era o papel da criança mais velha, pois esta tinha a missão de conduzir as atividades e explicá-las, depois de um tempo o mesmo sairá da fase do brincar para assumir outras responsabilidades compatíveis com a idade (as coisas ficavam mais sérias, não era mais criança) nesse momento ele preparava um substituto, para não deixar acabar as dinâmicas da vila. É assim esse ciclo se mantinha vivo, era incrível tais momentos.


Com o passar dos anos e advento da tecnologia e necessidade de ter mais segurança, as casas convencionais não eram mais interessantes e vieram então os condomínios fechados para ter uma moradia ideal, no entanto com esse tipo de situação as relações ficaram distantes e frias, com isso os jogos e brincadeiras ficaram raros e necessitando de intervenções diretas de pessoas treinadas para tal fim, ou seja, o brincar não era mais livre e sim sempre com horário marcado e com públicos seletivos. Enfim, o BRINCAR de todos dias se faz tão necessário e importante que independe da geração de crianças e alterações de cotidiano, o brincar sempre será a chave para crianças criativas, afetivas, ativas e humanas.


SUGESTÃO DE ATIVIDADES

UMA GALINHA E UM PATO (cantiga de roda)

Uma Galinha e o pato Uma galinha e um pato,

Inventaram uma maneira De se esconder,

Em um sapato apertadinho De bolinha amarelinho,

Com lacinho cor de rosa,

Que a mamãe comprou,

E o papai pagou,

E a vovó pegou e no lixo jogou,

Lixeiro passou e embora levou.


PASSA FAÇÃO COOPERATIVO

Área de Jogo: Quadra (área do futsal e voleibol)

Idade: 06 anos acima

Materiais: Corda

Desenvolvimento: Destina-se duas pessoas para bater a corda, e os demais formam uma fila única para passar por de baixo da corda individualmente. Os participantes irão passar um por um, não sendo necessário que professor anuncie. Lembrando que a corda não poderá relar/encostar em quem estiver passando pela corda. Variação: Mesmo sistema da atividade anterior, agora deveram passar em duplas, trios, quartetos ou todos.


PEGA-PEGA FUGI-FUGI

Área de jogo: Quadra

Idade: 04 a 08 anos

Material: Cones ou giz

Desenvolvimento: Existe um pegador, que ficará no centro da quadra. Os fugitivos ficam todos de um lado da quadra e terão que atravessá-la, fugindo do pegador. Mas só poderão atravessar quando o pegador gritar "PEGA - PEGA", e os fugitivos responderem "FUGI - FUGI". Após responderem, devem atravessar a quadra sem serem pegos. Quem for pego ficará parado no lugar (como um obstáculo), mas tornar-se-á também um pegador, embora não possa se locomover. Repete-se todo o procedimento para continuar a atividade.


SOBRE O AUTOR

Graduado em Educação Física. Pós-Graduado em Recreação e Lazer. Proprietário das Empresas - Efikaz cursos e Treinamentos e Tio Pantanal Recreação. CREF 4436 G-MS.

59 visualizações

ABRE - Associação Brasileira de Recreadores

CNPJ: 05.927.168/0001-60