Buscar

ENTÃO, O QUE É BRINCAR



FONTE ORIGINAL: https://educacaoludica.com.br/entao-o-que-e-brincar/


Por Rene Santos do Vale


Bem, para mim, brincar é um espírito que nos incentiva a explorar, experimentar e seguir nossa curiosidade. Bem, para mim, brincar é não ser forçado a fazer coisas. Brincar é algo que você quer fazer por si mesmo. Então, você pode inventar algumas regras ou pode seguir algumas regras, mas é porque você quer fazer isso. Então, certamente, acho que brincar não pode ser associado a ser forçado a fazer algo. Academicamente, somos apanhados por muitas ideias diferentes sobre a teorização do brincar e o que ele é.

E às vezes isso deixa de ser muito divertido e às vezes limita o que é aceito como brincadeira para algumas crianças. E talvez precisemos ser um pouco mais criativos, para que as crianças com rótulos diferentes – crianças com deficiência, brincadeiras de crianças autistas – não se limitem a ser deficitárias, erradas ou quebradas e precisando de conserto. E, em vez disso, se formos um pouco mais criativos, um pouco mais abertos sobre nossas ideias de brincadeira, então ficará mais interessante e um pouco mais de um espaço livre para crianças e adultos. A brincadeira pode ser definida de várias formas e maneiras.

Com que frequência você realmente ouve crianças dizendo “Vou brincar?” Sei que muitas vezes tenho ouvido meus filhos dizerem: “vou ali fora” ou “Vou fazer umas coisas”. Acho muito interessante ser solicitado a tentar definir o que é brincar. Isso me faz pensar sobre como brincar é um conceito meio escorregadio, e é muito difícil defini-lo de uma forma concreta.

Acho que dentro do meu próprio trabalho, que olha para as crianças, noto como as crianças brincam com diferentes formas de ser emocionais, como estão explorando o tipo de dimensões emocionais de seus relacionamentos – não apenas dando sentido às suas próprias emoções, mas criando senso de emoção no relacionamento e brincar com a realidade de várias maneiras. Então, eles estão descobrindo os limites do mundo social, mas às vezes também os transformando e empurrando e talvez criando novos limites para eles próprios. Isso é interessante. Da mesma forma, passei muito tempo tentando pensar sobre qual é a minha definição para brincar, porque estou interessado nas perspectivas das crianças sobre o mundo, como elas dão sentido ao mundo.

Sou constantemente trazido de volta a este termo brincar, que concordo que é muito difícil de definir. E mais uma vez, é muito escorregadio. Estou realmente interessado na comunicação e nas perspectivas das crianças – então, coisas que são instigadas pelas crianças, coisas que se baseiam em suas perspectivas, sua própria maneira de fazer sentido do mundo, e frequentemente atividades que são na verdade, intencionalmente ou não, muito comunicativas, muito corporificadas e não-verbais, e também muito interpessoais. É muito uma prática social. O psicólogo americano Peter Gray examinou uma variedade de definições de brincar e as destilou em cinco princípios. E alguns desses princípios são que:

  • O brincar é autodirigido. Nós escolhemos brincar.

  • Em segundo lugar, é intrinsecamente motivador. É sobre os meios e não o fim.

  • Terceiro, trata-se de envolver nossa imaginação. E nos fazer o questionamento ‘imagina se’.

E então, para mim, brincar é uma atividade social e cultural. Nos permite refletir sobre nossos mundos sociais e culturais, brincar com esses mundos e, finalmente, escapar deles se necessário.

COMO CITAR: Do Vale, Rene. Então, o que é Brincar?. Educação Lúdica, 2021. Disponível em: https://educacaoludica.com.br/?p=3510. Acesso em: data de acesso a notícia.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

ABRE - Associação Brasileira de Recreadores

CNPJ: 05.927.168/0001-60